Quarta-feira, 24 de abril de 2024
informe o texto

Notícias | Legislativo

"Se ficar só na vontade do governador, saio do partido", afirmou Eduardo Botelho

Segundo o deputado, o PSD tem interesse em sua candidatura a prefeito de Cuiabá

23/08/2023 - 10:20 | Atualizada em 30/08/2023 - 18:10

Cícero Henrique

Foto: Secom/ALMT

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado Eduardo Botelho (UB), disse hoje (23), em conversa com jornalistas, que ninguém do União Brasil o procurou para conversar sobre as eleições municipais. Depois que o governador Mauro Mendes declarou apoio ao projeto eleitoral do deputado federal Fábio Garcia, Botelho não escondeu seu descontentamento.

— A única pessoa que  me procurou foi o senador Mauro Carvalho. Nem o senador Jayme Campos me procurou para falar vamos sentar tal dia, disse.

O parlamentar afirmou que pretende dialogar com o partido em setembro.

—Aí, se o partido mantiver a tendência que está de não ter uma regra clara ou ficar só na vontade pessoal do governador Mauro Mendes, eu realmente vou sair do partido. Aí vou ter que trabalhar minha candidatura em outro partido, o governador está sabendo disso, por isso estou aguardando uma conversa com ele. Se criar oportunidades para todos dentro do partido, beleza, agora se ficar do jeito que está caminhando não tenho interesse nenhum em ficar em um grupo em que não tem democracia e oportunidades para todos.

O presidente da ALMT disse ainda que pretende sair do União Brasil de forma amigável, permanecendo na base do governo.  "Minha amizade com o governador, isso que estou buscando, brigas eleitorais não fazem parte do dia a dia da administração", pontuou.

Segundo o deputado, ainda há muito tempo, 15 meses, até a eleição. "Vamos caminhar com muita tranquilidade, até novembro definimos".

— O futuro prefeito de Cuiabá não pode ser inimigo do governador, não pode criar brigas; agora, não precisa ser do mesmo partido, o povo que vai escolher, tem que ser alguém que construa, esse candidato tem que trabalhar com o governo federal, com os deputados e senadores. A briga pessoal atrapalha. A briga partidária não, porque faz parte da eleição.

— O PSD tem demonstrado mais interesse na minha candidatura, já colocou para eu falar com o presidente nacional do partido três vezes, já veio aqui uma cinco, seis vezes me convidando, concluiu Eduardo Botelho.


 
 

Informe seu email e receba notícias!

Sitevip Internet