Segunda-feira, 17 de janeiro de 2022
informe o texto

Notícias | Jurídico

O horário eleitoral e a renúncia fiscal

21/08/2012 - 22:41

Redação

Um levantamento feito pelo site “Contas Abertas” aponta que a propaganda eleitoral a Receita Federal deixou de arrecadar, desde 2002, R$ 4 bilhões, das emissoras de rádio e televisão.

Para compensar as perdas das empresas de comunicação, que deixam de ganhar dos anunciantes comerciais nos 60 minutos diários de propaganda eleitoral, a União arca com os custos ao proporcionar aos veículos o benefício da renúncia fiscal, destaca o site.

-- Em 2012, R$ 606,1 milhões deixarão de ser recolhidos por causa das propagandas partidárias. É como se cada um dos mais de 190,7 milhões de brasileiros, indiretamente, pagasse cerca de R$ 3,18 para receber informações sobre os candidatos e os partidos políticos nas rádios e TVs, afirma o “Contas Abertas”.

O site destaca que o cálculo é baseado no princípio de que a Receita Federal “compra” o horário das emissoras, permitindo que deduzam do imposto de renda 80% do que receberiam caso vendessem o período para a publicidade comercial. Nas negociações publicitárias, é hábito a comissão de 20% para as agências de publicidade. Na propaganda partidária, porém, não há nenhuma agência intermediando.

A isenção concedida às empresas de rádio e televisão é uma das mais altas na lista da Receita neste ano e supera, por exemplo, os benefícios tributários com o Programa Minha Casa, Minha Vida, estimado em R$ 350,4 milhões, e o incentivo a projetos desportivos e paradesportivos (R$ 138,3 milhões). As empresas que patrocinam o esporte têm dedução de 1% a 6% do imposto de renda, compara o site.

 

Informe seu email e receba notícias!

Sitevip Internet