Domingo, 24 de janeiro de 2021
informe o texto

Notícias | Executivo

Ernesto Araújo minimiza tentativa de golpe e manifesta solidariedade a vândalos que invadiram o Congresso americano

Ministro ainda insinuou fraude nas eleições americanas

07/01/2021 - 16:02 | Atualizada em 08/01/2021 - 18:13

Jô Navarro

Ernesto Araújo minimiza tentativa de golpe e manifesta solidariedade a vândalos que invadiram o Congresso americano

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Ministro das Relações Exteriores do Brasil manifestou-se hoje (7) no Twitter sobre a tentativa de golpe instigada pelo ainda presidente dos Estados Unidos Donald Trump, que resultou na invasão do Congresso americano, depredação e morte de 4 pessoas.

Enquanto o mundo acompanhava perplexo o ataque à democracia promovido pelo próprio presidente Trump, no Brasil apoiadores de jair Bolsonaro comemoravam nas redes sociais a barbárie dos trumpistas. Militantes radicais bolsonaristas apoiaram a invasão e o próprio presidente afirmou que pode acontecer pior no Brasil em 2022 se não houver voto impresso. Esta não é mais uma ameaça velada, está sendo arquitetada pelo presidente Bolsonaro e políticos que ocupam ministérios e parte dos deputados e senadores. 

A julgar pela esdrúxula manifestação do chanceler Ernesto Araújo, ele também faz parte deste grupo de 'arquitetos do golpe em 2022'.

Para o ministro das Relações Exteriores, os vândalos que invadiram o Capitólio são pessoas de bem; endossa o discurso de 'fraude' repetido diariamente por Donald Trump e faz eco às ameaças de Bolsonaro às instituições. 

Veja abaixo o que disse o ministro Ernesto Araújo:

- Nada justifica uma invasão como a ocorrida ontem. Mas ao mesmo tempo nada justifica, numa democracia, o desrespeito ao povo por parte das instituições ou daqueles que as controlam.

- Há que perguntar, a propósito, por que razão a crítica a autoridades do Executivo deve considerar-se algo normal, mas a crítica a integrantes do Legislativo ou do Judiciário é enquadrada como atentado contra a democracia.

- Há que parar de chamar “fascistas” a cidadãos de bem quando se manifestam contra elementos do sistema político ou integrantes das instituições. Deslegitimar o povo na rua e nas redes só serve para manter estruturas de poder não democráticas e seus circuitos de interesse.

- Há que distinguir “processo eleitoral” e “democracia”. Duvidar da idoneidade de um processo eleitoral NÃO significa rejeitar a democracia. Ao contrário, uma democracia saudável requer, como condição essencial, a confiança da população na idoneidade do processo eleitoral.

-Há que lamentar e condenar a invasão da sede do Congresso ocorrida nos EUA ontem.

-Há que investigar se houve participação de elementos infiltrados na invasão

-Há que deplorar e investigar a morte de 4 pessoas incluindo uma manifestante atingida por um tiro dentro do Congresso

- Há que reconhecer que grande parte do povo americano se sente agredida e traída por sua classe política e desconfia do processo eleitoral.

- O direito do povo de exigir o bom funcionamento de suas instituições é sagrado. Que os fatos de ontem em Washington não sirvam de pretexto, nos EUA ou em qualquer país, para colocar qualquer instituição acima do escrutínio popular.




 

Enquete

Você mato-grossense vai tomar a vacina contra a covid-19?

Você deve selecionar uma opção
 

Informe seu email e receba notícias!

Sitevip Internet