Quarta-Feira, 22 de Agosto de 2018

Nacional
Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 09h:12

CÂMARA FEDERAL

Rubens Bueno promete reforma meia-sola no auxílio-moradia de juízes

Redação

Reprodução

Deputado federal Rubens Bueno

Curiosamente, está nas mãos do deputado Rubens Bueno – que nesta semana apareceu na imprensa devido a uma polêmica com seu auxílio-moradia – a regulamentação do teto salarial do funcionalismo. A encrenca do teto é, justamente, esse tipo de penduricalho.

Em entrevista ao Estadão, o deputado paranaense, o deputado paranaense, que está com a relatoria do caso na Câmara, diz que pretende acabar com o auxílio de juízes e promotores que atuam na cidade de origem. O benefício, que hoje é amplo, geral e irrestrito, serviria apenas para quem fosse deslocado.

Bueno está fazendo seu relatório num grande acordo nacional, com o Supremo, com tudo. E acha que não é o caso de decidir quem recebe auxílio-moradia com base no fato de a pessoa ter ou não imóvel na cidade. Bueno, curiosamente, foi acusado de receber R$ 5,5 mil de auxílio tendo imóvel em Brasília (ele nega e diz que vendeu o apartamento em 2013).

A solução é uma meia sola. Auxílio-moradia deveria ser para quem precisa de auxílio para morar. Não é o caso de quem recebe R$ 30 mil. E mesmo que fosse o caso de auxiliar os poderosos com mais dinheiro público, no mínimo haveria que se comprovar que o dinheiro foi efetivamente gasto com aluguel. De resto, é burla ao teto, pura e simples.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO