Sexta-Feira, 20 de Outubro de 2017

Temer apoiou estrada que beneficia fazenda do grupo de Maggi | Caldeirão Político

Executivo

Sábado, 05 de Agosto de 2017, 17h:07

VOTOS NEGOCIADOS

Temer apoiou estrada que beneficia fazenda do grupo de Maggi

Cícero Henrique

Divulgação-FPA

A Folha de São Paulo deste sábado, 5-08, dedicou mais de meia página a reportagem que relata o pedido da bancada ruralista ao presidente Michel Temer no momento em que ele negociava apoio para se livrar da denúncia de corrupção. A bancada ruralista, liderada pelo deputado Nilson Leitão (PSDB-MT), conseguiu apoio de Temer para a construção de uma estrada que sequer tem licença ambiental e beneficia uma fazenda de soja do grupo empresarial do senador licenciado Blairo Maggi, atual ministro da Agricultura.

Dos 8 deputados de Mato Grosso, apenas Ságuas Moraes (PT) votou a favor da abertura de ação penal contra Michel Temer. O pedido da PGR foi arquivado com 263 votos de deputados federais na última quarta-feira, 2-08.

Divulgação/FPA

Temer e FPA

Post de Nilson Leitão 2 dias antes da votação na Câmara.

A construção da BR 242, com 194 Km, enfrenta resistência do Ibama, órgão federal responsável pelo licenciamento ambiental. Foram localizados ao longo do traçado, sítios arqueológicos, pinturas e inscrições rupestres em grutas, além de matas importantes para cabeceiras de rios que cruzam o Parque Indígena do Xingu. O traçado da estrada passa a 10 Km do extremo sul do Parque. Segundo a Folha, um traçado alternativo já havia sido acordado entre o Ibama, produtores e indígenas. Mas, na semana decisiva Temer na Câmara, a bancada ruralista conseguiu o compromisso do presidente Michel Temer de apoiar o traçado inicial, que beneficia a propriedade do ministro.

CLIQUE AQUI para ler a matéria completa.

Ontem a mesma Folha de São Paulo noticiou que a delação premiada do ex-governador Silval Barbosa revela que Blairo Maggi participou da montagem do esquema para liberar dinheiro de precatórios estaduais em troca de apoio de deputados na Assembleia Legislativa. Maggi negou e repudiou a delação de Silval Barbosa, que foi seu vice e posteriormente eleito governador com seu apoio.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO