Imprimir

Imprimir Notícia

07/10/2021 - 09:10 | Atualizada: 08/10/2021 - 10:24

Salário mínimo deveria ser de R$ 5.657,66, segundo o DIEESE; cesta básica está mais cara em 11 capitais

O custo médio da cesta básica de alimentos aumentou em 11 cidades e diminuiu em seis, de acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada mensalmente pelo DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) em 17 capitais.  As maiores altas foram registradas em Brasília (3,88%). Campo Grande (3,53%), São Paulo (3,53%) e Belo Horizonte (3,49%).  As capitais com quedas mais intensas foram João Pessoa (-2,91%) e Natal (-2,90%). 

A cesta mais cara foi a de São Paulo (R$ 673,45), seguida pelas de Porto Alegre (R$ 672,39), Florianópolis (R$ 662,85) e Rio de Janeiro (R$ 643,06).  Entre as capitais do Norte e Nordeste, onde a composição da cesta tem algumas diferenças em relação às demais cidades, Aracaju (R$ 454,03), João Pessoa (R$ 476,63) e Salvador (R$ 478,86) registraram os menores custos. 

De acordo com o DIEESE, o valor do salário mínimo necessário para suprir as necessidades de uma família com duas pessoas deveria ser de R$ 5.657,66, o que corresponde a 5,14 vezes o piso nacional vigente, de R$ 1.100,00. 

Cesta básica em Cuiabá

Cuiabá não integra a lista de capitais acompanhadas pelo DIEESE. O cálculo feito pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA) aponta que o custo da cesta básica na capital mato-grossense no dia 5 /10 é de R$ 613,89.
 
 Imprimir