informe o texto

Notícias | Geral

Dados do Ministério da Justiça apontam que o Brasil tem 174 mulheres estupradas diariamente em 2024

DADOS ALARMANTES

16/06/2024 - 10:02 | Atualizada em 16/06/2024 - 13:15

Cícero Henrique

Dados do Ministério da Justiça apontam que o Brasil tem 174 mulheres estupradas diariamente em 2024

Foto: Reprodução

O Ministério da Justiça e Segurança Pública do Brasil divulgou dados alarmantes sobre estupro, revelando que até abril de 2024, mais de 21.000 mulheres foram vítimas deste crime, o que significa que 174 mulheres são estupradas diariamente. Embora o número de casos tenha diminuído em comparação ao mesmo período de 2023, quando foram registrados 36 mil estupros, o Brasil ainda enfrenta uma alta taxa de violência sexual.
 

Distribuição dos Casos por Estado
 

Os estados com o maior número de casos registrados até abril de 2024 são:
 

  • São Paulo: 4.409 notificações
     
  • Paraná: 1.952 notificações
     
  • Rio de Janeiro: 1.658 notificações
     
  • Minas Gerais: 1.388 notificações
     

Esses dados foram compilados a partir de números fornecidos por cada estado e o Distrito Federal.
 

Projeto de Lei 1904
 

Esses dados vêm à tona em meio à controvérsia gerada pelo Projeto de Lei 1904, proposto pelo deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ). O projeto visa equiparar o aborto realizado após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. Se aprovado, o projeto significaria que uma mulher vítima de estupro que interrompesse a gravidez após esse período poderia enfrentar uma pena maior do que a do estuprador.
 

A proposta provocou forte reação da sociedade civil e de atores políticos. Uma enquete no site da Câmara mostrou que 79% dos participantes discordam totalmente do texto, enquanto 28% concordam. O projeto foi aprovado em regime de urgência na quarta-feira (12), permitindo que seja votado diretamente no Plenário, sem passar pelas comissões da Câmara.
 

Reflexão e Reações
 

Esses números e o contexto legislativo destacam a urgência de discutir e enfrentar a violência sexual no Brasil, além de ponderar cuidadosamente as implicações legais e éticas das propostas legislativas que afetam diretamente as vítimas de estupro. A reação pública indica uma forte resistência a medidas que possam penalizar ainda mais as vítimas em uma sociedade que já lida com altos índices de violência contra a mulher.

 

Informe seu email e receba notícias!

Sitevip Internet