Terça-feira, 16 de agosto de 2022
informe o texto

Notícias | Brasil

Taxa de transmissão do Sars-Cov-2 é superior a 1; em MT tendência é de alta

27/05/2022 - 09:26 | Atualizada em 28/05/2022 - 10:20

Da Redação

Taxa de transmissão do Sars-Cov-2 é superior a 1; em MT tendência é de alta

Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Miguel Nicolelis, neurocientista e professor titular da universidade Duke, alerta que vivemos o momento mais perigoso da pandemia. Segundo ele, isso acontece "porque todas as medidas de contenção do vírus foram eliminadas, a janela de imunidade pelas vacinas está fechando, novas variantes estão circulando sem barreiras e não existe interesse em informar o verdadeiro estado dos casos, seja por falta de testagem, seja pela total falta de informações oficiais confiáveis ou pela completa falta de cobertura da grande mídia que deixou de querer investigar a verdadeira situação da pandemia no Brasil e no resto do mundo".
 
O boletim InfoGripe divulgado ontem (26) pela Fiocruz informa a tendência de aumento de casos e óbitos em 18 das 27 Unidades Federativas apresentam sinal de crescimento na tendência de longo prazo (últimas seis semanas): AC, AL, AM, AP, BA, DF, GO, MG, MT, PR, RJ, RN, RR, RS, SC, SP, SE e TO. 

Cerca de 48% das ocorrências de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) registradas nas últimas quatro semanas são em função da Covid-19. Em relação aos óbitos por SRAG, 84% das notificações foram relacionadas ao Sars-CoV-2 (Covid-19). A análise é referente à Semana Epidemiológica (SE) 20, período de 15 a 21 de maio.   

MATO GROSSO

Em Mato Grosso, o início do mês de abril teve média móvel próxima de zero com relação aos novos casos da doença. Agora, a média móvel de novos casos de covid nos últimos 7 dias está em 151, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. Até 19 de maio, 67,1% da população total havia sido imunizada com as duas doses ou dose única do imunizante. 

Segundo os dados da SES-MT, nas últimas 24h foram notificados 214 novos casos da doença no Estado. A taxa de ocupação está em 20,62% para UTIs adulto e em 5% para enfermaria adulto.

HÁ RISCO DE 4ª ONDA?

Em entrevista para a rádio CBN, a epidemiologista Ethel Maciel, professora da UFES, afirma que, diante da alta de internações e óbitos pelo país, há risco real de quarta onda, já decretada na Argentina. A taxa de transmissão ficou acima de 1 pela primeira vez desde fevereiro. 

A epidemiologista ressalta que o Brasil está em 'momento muito melhor', mas tem cobertura vacinal desigual. 'Estados que têm menos pessoas vacinadas contribuem para o espalhamento do vírus com mais casos graves e internações', explica. 'Precisamos de campanhas mais efetivas pela vacinação.' Para a especialista, diante da possibilidade de uma quarta onda de Covid-19, é preciso voltar a falar sobre o uso de máscaras.




Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Aqui você pode acompanhar as notícias no Facebook
 

Informe seu email e receba notícias!

Sitevip Internet