Sexta-feira, 21 de janeiro de 2022
informe o texto

Notícias | Jurídico

Ministro Nunes Marques mantém condenação de mulher que furtou chicletes

POBRE VAI PARA CADEIA

27/12/2021 - 14:51 | Atualizada em 27/12/2021 - 15:03

Redação

Ministro Nunes Marques mantém condenação de mulher que furtou chicletes

Foto: Reprodução

No Brasil é tudo errado, ou seja, quem rouba os cofres públicos como ocorreu com o ex-presidente Lula, o caso das rachadinhas envolvendo Flávio Bolsonaro são anulados pelas instâncias superiores.

Quando é pobre, é cacete nele e cadeia.

O ministro Nunes Marques (foto), do STF, negou pedido para absolver uma mulher condenada por furto qualificado pelo concurso de pessoas, sendo os bens furtados 18 chocolates e 89 chicletes, avaliados em R$ 50 à época dos fatos, em 2013. A decisão é de 6 de dezembro.

O processo chegou ao STF por meio da Defensoria Pública de Minas Gerais, que pedia a aplicação do princípio da insignificância e a consequente absolvição da mulher. O princípio da insignificância determina a não punição de crimes que provocam uma ofensa irrelevante ao bem jurídico.

“O STF já firmou orientação no sentido da aplicabilidade do princípio da insignificância no sistema penal brasileiro desde que preenchidos, cumulativamente, os seguintes requisitos, como a mínima ofensividade da conduta do agente, nenhuma periculosidade social da ação, o reduzidíssimo grau de reprovabilidade do comportamento e a inexpressividade da lesão jurídica provocada”, disse o ministro.

Segundo Nunes Marques, no caso analisado, não há que se falar em fato insignificante.

“Como bem destacou o Superior Tribunal de Justiça, a prática do delito de furto qualificado por concurso de agentes, caso dos autos, indica a especial reprovabilidade do comportamento e afasta a aplicação do princípio da insignificância”, afirmou.
 
 

Informe seu email e receba notícias!

Sitevip Internet