Terça-feira, 18 de janeiro de 2022
informe o texto

Notícias | Jurídico

Barrosos envia à PGR notícia-crime sobre fake news de Bolsonaro que associa vacina à Aids

26/10/2021 - 06:38 | Atualizada em 26/10/2021 - 14:28

Redação com Agência Brasil

Barrosos envia à PGR notícia-crime sobre fake news de Bolsonaro que associa vacina à Aids

Foto: Reprodução

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso enviou na segunda-feira (25) para a Procuradoria-Geral da República (PGR) uma notícia-crime apresentada por parlamentares do PSOL e PDT após a live em que o presidente Jair Bolsonaro compartilhou a informação sobre uma suposta relação entre as vacinas contra covid-19 e a aids (síndrome da imunodeficiência adquirida). 

Na decisão, o ministro pede a manifestação da PGR sobre os fatos narrados durante a transmissão, que ocorreu na quinta-feira (21). “Conforme prevê o Art. 230-B do regimento Interno do STF e como de praxe, determino a remessa dos autos à Procuradoria-Geral da República para manifestação”, despachou Barroso. 

De acordo com o presidente, a informação se refere a pessoas totalmente vacinadas, ou seja, que tomaram a dose única ou segunda dose da vacina há mais de 15 dias. "Só vou dar a notícia, não vou comentar. Já falei sobre isso no passado, apanhei muito. Vamos lá: 'Relatórios oficiais do governo do Reino Unido sugerem que os totalmente vacinados […] estão desenvolvendo síndrome da imunodeficiência adquirida muito mais rápido do que o previsto'. Recomendo, leiam a matéria, não vou ler aqui porque posso ter problema com a minha live, não quero que caia a live aqui, quero dar informações", afirmou Bolsonaro. 

Em nota divulgada no sábado (23), o Comitê de HIV/Aids da Sociedade Brasileira de Infectologia esclareceu que “não se conhece nenhuma relação” entre qualquer vacina contra a covid-19 e o desenvolvimento de Aids. “Repudiamos toda e qualquer notícia falsa que circule e faça menção a esta associação inexistente”, diz a nota.

Mais cedo, o Facebook e o Instagram tiraram do ar a live do presidente. O Youtube também removeu o vídeo se suspendeu o canal do presidente por uma semana.
 

Informe seu email e receba notícias!

Sitevip Internet