Segunda-feira, 26 de julho de 2021
informe o texto

Notícias | Executivo

Mensalão de R$ 296 mil. E agora Bolsonaro?

Filho do presidente também foi citado por servidora no esquema do mensalão

19/07/2021 - 08:49 | Atualizada em 19/07/2021 - 09:47

Da Redação

Mensalão de R$ 296 mil. E agora Bolsonaro?

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

A CPI da Covid recebeu informações e documentos sobre um esquema de pagamento mensal de R$ 296 mil de propina no Ministério da Saúde envolvendo a empresa VTCLog, contratada para distribuir insumos e vacinas a Estados e municípios. O operador do esquema era Roberto Dias, ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde. 

O esquema começou em 2018, quando o atual líder de Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros, era ministro da Saúde. 

O mensalão do Centrão de R$ 296 mil/mês era pago para mais dois figurões da política, cujos nomes o denunciante não quis revelar. Investigações da CPI, que apuram os dados do celular de Roberto Dias, revelaram grande número de ligações para Davi Alcolumbre. Outro beneficiado pelo mensalão seria Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados.

Segundo o UOL, uma servidora do Ministério da Saúde denunciou o esquema da VTCLog para o deputado Luiz Miranda, que a enviou para a CPI da Covid. Segundo a denúncia da servidora, estariam envolvidos no esquema Arthur Lira, Ricardo Barros, Ciro Nogueira, Flávio Bolsonaro.

A gestão Bolsonaro, de extrema direita, está chafurdando em corrupção, assim como foi durante a gestão petista. (Com informações de O Globo e UOL)
 

Informe seu email e receba notícias!

Sitevip Internet