informe o texto

Notícias | Legislativo

Senador diz que CPI não pode virar instrumento de perseguição

11/06/2012 - 17:11

Redação

O senador Pedro Taques, do PDT de Mato Grosso, afirmou, na manhã de hoje (11), que a CPI do Cachoeira não pode ser usada como um "instrumento de perseguição política", fazendo alusão à disputa entre parlamentares do governo e da oposição para pressionar o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), que irão depor na terça (12) e quarta-feira (13), respectivamente.

"A CPI é um instrumento político, mas não pode ser um instrumento de perseguição política. Não pode ser uma CPI do PT contra o PSDB ou do PSDB contra o PT. É uma comissão que busca a verdade. Se eu entender que os esclarecimentos [de Perillo] não foram suficientes para afastar as dúvidas, temos outros meios para chegar a isso", disse.

Para Taques, é de interesse do próprio Perillo falar a verdade em relação à venda da casa, que pode ser tido feita através do intermédio de Carlos Cachoeira. "Ele tem interesse de revelar de que maneira foi feita a compra desta casa para estancar qualquer dúvida", disse o senador.

 

Informe seu email e receba notícias!

Sitevip Internet