Segunda-feira, 12 de abril de 2021
informe o texto

Notícias | Geral

Enquanto autoridades 'lavam as mãos', a morte gargalha em Mato Grosso

02/04/2021 - 08:53

Jô Navarro

Enquanto autoridades 'lavam as mãos', a morte gargalha em Mato Grosso

Foto: Reprodução/TVCA

Enquanto o Executivo e até alguns membros do judiciário fazem de conta que zelam pela saúde da população na pandemia, a morte gargalha em Mato Grosso. A dama da foice é a vencedora.

O procurador-geral do do MPMT José Antônio Borges Pereira e o promotor de Justiça Alexandre de Matos Guedes estão certos ao pedir o cumprimento de medidas restritivas e reduzir a amplitude dos chamados 'serviços essenciais'. As evidências científicas são publicadas diariamente pela SES-MT. Colapso dos hospitais particulares e públicos, vacinação a passo de tartaruga.  Disparada do número de mortos. 

É pouco? vejam as estatísticas de Araraquara (SP), que reduziu a contaminação e a ocupação de leitos de UTI após lockdown. A média móvel (de casos) caiu 53%, as internações caíram 30%, pacientes em quarentena caiu 65% e na principal informação a testagem, os exames coletados remetidos aos laboratórios, houve queda de 62%. https://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2021/03/26/apos-44-dias-araraquara-nao-registra-obito-por-covid-em-24h.ghtml?utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=g1

Ouçam o depoimento dramático do prefeito comerciante de Mongaguá (SP), que perdeu o pai e o irmão comerciantes (por covid) e, aos prantos, diz que se falir poderá se reerguer, mas morto não pode trabalhar. 

Não se trata de escolher entre economia e saúde, mas entre economia e morte. Cabe ao poder público suprir as necessidades básicas dos cidadãos em períodos de crise como a que vivemos. Muitos que defendiam o 'abre tudo' hoje estão mortos. É fato.

Dados divulgados no dia 30-03 pela Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá referente à 12ª Semana Epidemiológica (SE), em parceria com a UFMT, compreendendo o período de 14 de março de 2020 a 27 de março de 2021 apontam o avanço da covid-19 no município.

Em duas semanas Cuiabá registrou:
  •  64.901 casos de COVID-19 de residentes;
  •  1.972 óbitos; Nesta semana (SE 12) foram notificados 1.276 casos e 131 óbitos;  O número de óbitos nas duas últimas semanas de março (SE 11 a 12 – 14 a 27 de março de 2021) apresentou quantitativo maior ao observado no pico de mortes do ano de 2020 (SE 27 a 29 – 28 de junho a 18 de julho de 2020);
  • Taxa de incidência é mais elevada entre 30 a 39 anos, 
  • As taxas em crianças (1.194%), adolescentes (1.887%) e jovens de 20 a 29 anos (1.235%) foram as que mais cresceram desde 18/julho/2020;
  • 26% dos pacientes residentes em Cuiabá internados por COVID-19 ocuparam leitos de UTI desde o momento de internação até a alta/óbito;
  • Aproximadamente 40% dos idosos, 15% dos adultos, e 10,5% das crianças e adolescentes internados por COVID-19 foram a óbito;
  • Em 27 de março a taxa de ocupação de leitos de UTI adulto dos hospitais de Cuiabá foi 95,5%;
  • A taxa de ocupação de leitos de UTI infantil se manteve alta (90%);
  • A taxa de ocupação de leitos de enfermaria (58,1%) se manteve quando comparada a da semana anterior (20 de março).

Números de Mato Grosso

No dia 01-03-2021 foram registrados os seguintes dados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT):

- 252.528 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso e 5.832 óbitos. Nesta data eram registrados 26 mortes por dia. 

- No dia 1º de abril: 312.675 (aumento de 60.147) casos confirmados e 7.766 óbitos (1.938 a mais). Registro de 91 mortos em 24h. A taxa de ocupação está em 97,28% para UTIs adulto e em 60% para enfermarias adulto.  Para UTI pediátrica a taxa de ocupação é de 83,33. Na quinta-feira (1º/04) 138 pessoas aguardam por uma UTI Cada vez mais crianças e jovens estão morrendo.



 

Informe seu email e receba notícias!

Sitevip Internet