Segunda-feira, 12 de abril de 2021
informe o texto

Notícias | Legislativo

Para Lúdio Cabral, decreto de Emanuel Pinheiro desrespeitou descaradamente a decisão judicial

O prefeito vestiu de vez o negacionismo bolsonarista, diz deputado

31/03/2021 - 11:39 | Atualizada em 31/03/2021 - 18:41

Jô Navarro

Para Lúdio Cabral, decreto de Emanuel Pinheiro desrespeitou descaradamente a decisão judicial

Foto: Helder Faria/ALMT

Para o médico sanitarista e deputado estadual Lúdio Cabral (PT), o decreto de quarentena do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) 'é o mesmo que nada'.

O prefeito determina no Decreto 8.372 que podem permanecer abertas 54 categorias de estabelecimentos considerados essenciais, de acordo com Decreto Federal nº 10.344, de 11 de maio de 2020.

Para Lúdio Cabral, o decreto municipal desrespeitou a decisão judicial e afrouxou as restrições ao permitir o funcionamento de tantas atividades.

O prefeito de Cuiabá desrespeitou descaradamente a decisão judicial. A decisão determina que os prefeitos cumpram o decreto do governador, que já é bem flexível, ou então que os prefeitos estabeleçam medidas mais restritivas do que o governo estadual definiu. O prefeito não pode buscar em decreto presidencial do ano passado atividades ditas essenciais e liberar tudo. Esse decreto de ontem é uma peça de ficção. Esse decreto e nada é a mesma coisa. O prefeito vestiu de vez o negacionismo bolsonarista.”

O parlamentar ressalta que a vacinação no muncípio está muito lenta e criticou a centralização no Centro de Eventos do Pantanal. Ele sugere distribuir a vacinação usando as salas de vacina do SUS, comprovadamente preparadas e habituadas a campanhas de imunização. 

A quarentena é um remédio amargo que precisa ser usado da forma certa no momento certo, para frear o contágio. O que vai nos tirar de vez da pandemia é a vacinação. Mas a vacinação está lenta e atrasada. Não adianta inventar a roda e centralizar a vacinação em um único local, como o Centro de Eventos do Pantanal, fazendo idosos atravessarem a cidade de ônibus e fazerem agendamento via internet pra se vacinarem. Precisamos descentralizar a vacinação, utilizar as unidades básicas de saúde, as salas de vacina que o SUS já tem. Quanto mais descentralizar, melhor.”

Contaminação descontrolada

Dados divulgados ontem (30) pela Secretaria Municpal de Saúde de Cuiabá 12ª Semana Epidemiológica (SE), em parceria com a UFMT, compreendendo o período de 14 de março de 2020 a 27 de março de 2021 apontam o avanço da covid-19 no município.

Em duas semanas Cuiabá registrou:
  •  64.901 casos de COVID-19 de residentes;
  •  1.972 óbitos; Nesta semana (SE 12) foram notificados 1.276 casos e 131 óbitos;  O número de óbitos nas duas últimas semanas de março (SE 11 a 12 – 14 a 27 de março de 2021) apresentou quantitativo maior ao observado no pico de mortes do ano de 2020 (SE 27 a 29 – 28 de junho a 18 de julho de 2020);
  • Taxa de incidência é mais elevada entre 30 a 39 anos, 
  • As taxas em crianças (1.194%), adolescentes (1.887%) e jovens de 20 a 29 anos (1.235%) foram as que mais cresceram desde 18/julho/2020;
  • 26% dos pacientes residentes em Cuiabá internados por COVID-19 ocuparam leitos de UTI desde o momento de internação até a alta/óbito;
  • Aproximadamente 40% dos idosos, 15% dos adultos, e 10,5% das crianças e adolescentes internados por COVID-19 foram a óbito;
  • Em 27 de março a taxa de ocupação de leitos de UTI adulto dos hospitais de Cuiabá foi 95,5%;
  • A taxa de ocupação de leitos de UTI infantil se manteve alta (90%);
  • A taxa de ocupação de leitos de enfermaria (58,1%) se manteve quando comparada a da semana anterior (20 de março).

 
 

Informe seu email e receba notícias!

Sitevip Internet