Segunda-feira, 12 de abril de 2021
informe o texto

Notícias | Legislativo

Relatório da CPI do MP responsabiliza três procuradores por pagamentos supostamente ilegais

25/02/2021 - 09:49 | Atualizada em 02/03/2021 - 09:13

Redação

Relatório da CPI do MP responsabiliza três procuradores por pagamentos supostamente ilegais

Foto: Secom/ALMT

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Cartas de Crédito do Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) responsabiliza os ex-chefes do órgão, procuradores Marcelo Ferra e Paulo Prado, além do procurador Hélio Faust, por práticas de improbidade administrativa. 

O relatório circunstanciado aponta que o trio teria ordenado o pagamento de mais de R$ 73 milhões (valores atualizados) a membros do Ministério Público em cartas de crédito e na forma de quitação de benefícios ilegais.

O relatório da CPI aponta que os três procuradores incorreram, ‘em tese’ em vários atos ilegais, como ‘enriquecimento ilícito, auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo, mandato, função, emprego ou atividade’. E ainda: ‘incorporar, por qualquer forma, ao seu patrimônio bens, rendas, verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial, e usar, em proveito próprio, bens, rendas, verbas ou valores’, diz trecho do documento.

É o que noticia a segunda reportagem do jornal A Gazeta baseada no relatório circunstanciado da CPI do MP. Segundo o jornal, o documento com mais de 800 páginas foi entregue em um envelope sem identificação. 

O MPE nega. " A questão das cartas de crédito já foi suficientemente exaurida, resultando em arquivamento da denúncia perante o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Tribunal de Contas do Estado (TCE) e encerramento da respectiva CPI pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso." .

Leia também:
Relatório inédito revela pagamentos ilegais de R$ 73 milhões ao MPMT
 

Informe seu email e receba notícias!

Sitevip Internet