Sábado, 20 de Outubro de 2018

União
Quarta-Feira, 08 de Agosto de 2018, 12h:52

FRAUDES EM CONTRATOS DE TI

Ex-secretário do MIN denuncia ministro por fraudes em contratos de TI

Redação

Marcos Corrêa//PR

Ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua de Deus Andrade, em reunião com o presidente Michel Temer

Mário Ramos Ribeiro, economista, ex-secretário do Ministério da Integração Nacional, pediu exoneração há um mês e denunciou seu superior, o ministro Antônio de Pádua.  O caso está sendo investigado pela Controladoria Geral da União.

Segundo o economista, os denunciados estão envolvidos num esquema milionário de fraudes em contratos de Tecnologia da Informação (TI).

Mário Ribeiro era encarregado de avalizar os contratos e descobriu o esquema. Tentou exonerar os servidores envolvidos, mas o ministro Pádua teria interferido e "acobertado as irregularidades".

Em maio o então presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Francisco Lopes, foi exonerado alguns dias após o jornal O Globo divulgar que o INSS fechou um contrato de R$ 8,8 milhões com uma empresa de informática sediada em um pequeno estoque de bebidas, em Brasília. Francisco Lopes era apadrinhado do líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE). A área técnica do INSS chegou a alertar Francisco Lopes sobre o contrato quando verificou o tipo de programa de computador, desnecessário, e o volume de recursos envolvidos.

Segundo o jornal O Globo, a crise começou quando Mário Ramos descobriu que a mesma RSX foi contratada pelo ministério sem que ele soubesse.

A assessoria do Ministério da Integração e da RSX negam a informação. A CGU confirmou que investiga o caso.

O Caldeirão Político confirmou a publicação no Diário Oficial da União do dia 02-05-2018, a contratação da RSX pelo Ministério da Integração para fornecimento de Licença Perpétua de software para análise de vulnerabilidade de aplicações com suporte e atualização. O valor do contrato com vigência de 12 meses é de R$3.716.000,00.

 (Matéria atualizada dia 9/08/2018 às 13h18 para correção de informação. A CGU investiga o caso, ao contrário do anteriormente publicado 'Ex-secretário do MIN denuncia ministro e servidores da CGU por fraudes em contratos de TI')

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO