Segunda-Feira, 17 de Junho de 2019

Municipal
Sábado, 27 de Abril de 2019, 08h:01

CEM

Pôssas diz que vai apurar irregularidades no CEM, mas omite suposto tráfico de influência

Jô Navarro

Divulgação

Luiz Antonio Possas de Carvalho

Cuiabá - O secretário municipal de Saúde, Luiz Antônio Pôssas de Carvalho, manifestou-se oficialmente neste sábado (27) sobre as denúncias apresentadas na Câmara Municipal na última terça-feira (23) de suposta irregularidade no cumprimento da jornada de trabalho por parte dos médicos que atuam no Centro de Especialidades Médicas (CEM).

Por meio de release da assessoria(leia ao final) de comunicação no site oficial da Prefeitura, quatro dias após a primeira denúncia, o secretário de Saúde afirma que "medidas enérgicas serão tomadas pela gestão". Segundo o secretário “Se for comprovado que essas horas não foram cumpridas, vou determinar que sejam feitos Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) para que sejam repostas".

Em gravação de áudio divulgada pelo vereador na Câmara Municipal, a coordenadora do CEM, Nadja Sartoreli, admite o não cumprimento da jornada e manifesta preocupação com a ameaça de uma médica de denunciar os colegas caso seja lançada falta e desconto em seu holerite. Na quinta-feira (25) a Câmara aprovou requerimento apresentado pelo vereador Abilio Junior convidando a coordenadora do CEM, Nadja Sartoreli, a prestar esclarecimentos sobre estas denúncias.

Por diversas vezes a redação do Caldeirão Político cobrou da Secretaria de Inovação e Comunicação (Sicom) o posicionamento da SMS sobre as denúncias, mas não tivemos resposta.

Entenda a denúncia:  Coordenadora admite conivência com médicos que não cumprem jornada em Cuiabá

Ao longo da semana outras denúncias surgiram, dentre elas a de suposto tráfico de influência por parte de assessores de vereadores e secretários municipais, inclusive do gabinete do prefeito Emanuel Pinheiro, que encaminham "listas de pacientes para furar a fila do SUS", conforme denunciado pelo vereador Abilio Junior. Na quinta-feira (25) a Câmara aprovou requerimento apresentado pelo vereador convidando a coordenadora do CEM, Nadja Sartoreli, a prestar esclarecimentos sobre estas denúncias.

Leia mais sobre o suposto tráfico de influência no CEMDenúncia de tráfico de influência no CEM cita primeira-dama,vereadores e até deputado

Leia abaixo íntegra da resposta da prefeitura às denúncias veiculadas:

Secretário determina providências sobre supostas irregularidades no CEM

Assim que teve conhecimento das denúncias sobre as supostas irregularidades no Centro de Especialidades Médicas (CEM), em relação a carga horária por parte dos médicos, o secretário municipal de Saúde, Luiz Antônio Pôssas de Carvalho anunciou que medidas enérgicas serão tomadas pela gestão.

“Se for comprovado que essas horas não foram cumpridas, vou determinar que sejam feitos Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) para que sejam repostas. E, aqueles que se recusarem a assinar o TAC, serão obrigados a responder um Processo Administrativo Disciplinar – PAD. Quem não se adequar ao que está estipulado no contrato de trabalho, será exonerado. Por outro lado, aqueles que quiserem repor as horas não trabalhadas, poderão fazê-lo nos próximos mutirões que realizamos mensalmente no CEM. Estamos abrindo uma sindicância para apurar todos os fatos divulgados”, comentou Pôssas.

Os mutirões de consultas e exames são desenvolvidos mensalmente e as consultas ofertadas são realizadas por médicos especialistas da rede, para dar andamento à demanda represada. Esse projeto tem resultados à gestão, pois foi iniciado com uma fila de pacientes do ano de 2015 e, atualmente, já avançou para atendimento de pacientes com solicitação do final do ano de 2017 e 2018. A proposta é que o tempo de espera na fila da Regulação seja no máximo de 90 dias, que é um período digno de promoção e diagnóstico de saúde.

O secretário Pôssas é um grande entusiasta dos mutirões. “Com os 10 mutirões que já realizamos, conseguimos tirar mais de 6 mil pessoas da fila de espera. Temos realizado um trabalho árduo para a diminuição dessa fila da Central de Regulação e o mutirão é uma das ações com esta finalidade. Ainda assim, temos um alto índice de absenteísmo, na faixa de 36%, e precisamos combater isso. Precisamos que os pacientes convocados façam a sua parte, que é o de comparecer no dia estabelecido. Dessa maneira, conseguiremos diminuir a fila e oferecer atendimentos mais rápidos e eficientes para a população.

 

2 COMENTÁRIOS:

Esse Edemir se trata de um eterno funcionário fantasma.
enviado por: Observador em 28/04/2019 às 20:19:10
0
 
0
responder
O vereador deve fiscalizar todos os cabos eleitorais do vereador Saad que está na gestão, no hospital São Benedito tem um tal de EDEMIR que além de não trabalhar só vai lá e bate ponto e some, quer ver ele vai na praça do Choppao!!!! Fica a dica vereador Abílio.
enviado por: Hellen em 27/04/2019 às 14:20:30
0
 
0
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO