Quarta-Feira, 22 de Agosto de 2018

Cidades
Domingo, 11 de Fevereiro de 2018, 11h:32

COMBATE AO VETOR

População cuiabana está vulnerável à Chikungunya, alerta gestora

Só com a ajuda de todos conseguiremos de fato sair da zona de risco em que nos encontramos atualmente e o VANT vem para nos subsidiar nesta missão, diz gestora.

Jô Navarro

Jô Navarro/Caldeirão Político

gestora do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS), Moema Couto Silva Blatt, fez um alerta na última sexta-feira, 9, durante coletiva de imprensa sobre o combate ao mosquito Aedes aegypti, vetor da Dengue, Zika e Chikungunya. Segundo a gestora, a população cuiabana está vulnerável à Chikungunha. "O risco é grande", alertou, acrescentando que apesar da redução do Índice de Infestação Predial (IIP) em 2017 em relação a 2016, a população não tem resistência à Chikungunya e muitos contrairão a doença em 2018.

“Nosso plano de trabalho é mostrar a realidade para todos os entes participantes da comunidade de forma a realmente impactá-los e isso, em todas as épocas do ano. O trabalho de conscientização já foi intensificado desde o ano passado, mas só com a ajuda de todos conseguiremos de fato sair da zona de risco em que nos encontramos atualmente e o VANT vem para nos subsidiar nesta missão”, destacou Moema.

Divulgação

Cuiabá - drone

Imagens gravadas pelo VANT em alta definição

Para combater o vetor o Comitê de Ação Preventiva contra o mosquito Aedes aegypti adotou estratégias para identificar potenciais focos de procriação. A mais recente é o uso de um tipo de drone, o VANT, que faz filmagens aéreas de uma grande área, em alta resolução. Identificados os locais de risco, os agentes de saúde vão até o local para as ações necessárias.

As imagens possuem pelo menos 10 vezes mais resolução que imagens de satélite e o aparelho consegue cobrir uma área de 500 quarteirões em poucas horas com tecnologia 200 vezes mais produtiva que os métodos tradicionais. Nos resultados preliminares da aeronave, que é controlada por um técnico o VANT demonstrou sua eficácia ao sobrevoar bairros assinalados pelo LIRAa - Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti e assinalou que embora as ações do Comitê já tenham surtido avanços significativos, Cuiabá ainda está entre as capitais com maiores índices de proliferação, sendo que 89% dos focos estão nas residências e aliados ao acúmulo de lixo.

O prefeito Emanuel Pinheiro destacou que sua primeira medida, logo após tomar posse no dia 2 de janeiro de 2017, criou o Comitê: “Quando assumi o mandato criamos o Comitê de Ações Preventivas ao mosquito Aedes aegypti, demonstrando nossa preocupação, sensibilidade e nossa guerra sem trégua contra esse que é o vetor de doenças tão terríveis como a zika, chikungunya, dengue e agora a febre amarela. E hoje estamos apresentando essa tecnologia de última geração chamada VANT para que as ações do Comitê, que envolvem quase todas as secretarias do município, possam ter combates ainda mais efetivos e atacar diretamente o foco desses criadouros e assim, ganharmos essa luta constante. Já temos muitos avanços, mais ainda não há motivos para comemorações. Entretanto, por meio desse Comitê que é permanente, Cuiabá começa a fazer seu dever de casa na luta que travamos contra o Aedes”.

Divulgação

Caixas d'água

Caixas d'água sem tampa localizadas pelo VANT

Caixas D'água
Emanuel Pinheiro anunciou durante a coletiva que o município prepara um programa para doar tampas para caixas d'água para a população de baixa renda. As primeiras imagens gravadas pelo VANT registraram grande quantidade de caixas sem tampas.

Ações de combate ao mosquito

A secretaria de Saúde do município descarta o uso de fumacê e aposta na tecnologia (VANT) e no combate localizado com bomba costal, serviço de Cata Treco, mutirões de limpeza, campanhas nas escolas e o engajamento dos presidentes de bairros, fundamentais neste processo.

“Queremos evitar o fumacê porque com bases em nossos levantamentos técnicos, observamos que ele não tem uma ação tão eficaz quanto deveria. Atinge apenas os mosquitos adultos, ou seja, não consegue chegar aos criadouros e ainda causa diversos problemas de saúde à população, desde respiratórios à intoxicação. Por isso, com base nas amostragens, diversas ações pontuais já foram deliberadas pelo Comitê, dentre elas, a intensificação da parceria com a Secretaria de Serviços Urbanos nos projetos Mutirão da Limpeza e Cata Treco. Com a Secretaria de Educação estamos realizando palestras voltadas à Educação Ambiental e sobre o ciclo evolutivo do Aedes e ainda adotaremos modelos de comunicação direta e incisiva, como carro de som e panfletagens. Além disso, o Comitê fará, junto à Secretaria Adjunta de Relações Comunitárias, reuniões ampliadas com presidentes e lideranças comunitárias em cada bairro para apresentar os resultados preliminares do VANT e assim podermos contar com a parceria de cada um na luta contra o Aedes”, ressaltou a secretária Elizeth Araújo.

O combate ao mosquito Aedes aegypti é dever do estado e dos municípios e, sobretudo, de cada um de nós. Reduzir os focos de procriação do mosquito é tarefa diária. Um simples copinho de café ou de água jogado na rua, até mesmo uma tampa de garrafa pet se torna criadouro para o Aedes. Manter as ruas, quintais e estabelecimentos comerciais limpos e protegidos é tarefa de todos que salva a sua, as nossas vidas.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO