Quarta-Feira, 21 de Agosto de 2019

Brasil

Sábado, 20 de Julho de 2013, 21h:29

DESVIO PARA CAMPANHA

Polícia Federal indicia 23 suspeitos por fraude em programa de internet; investigação cita Valtenir Pereira

Jornal Nacional

A Polícia Federal concluiu inquérito na sexta-feira (19) que indiciou 23 pessoas e apontou um esquema que desviou R$ 1,6 milhão do programa Jampa Digital para ser usado na campanha de 2010 do atual governador da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB) e de seu vice, Rômulo Gouveia (PSD), que é suspeito de ter montado todo o esquema.

De acordo com o inquérito, em 2009, quando era deputado federal, Rômulo Gouveia apresentou uma emenda propondo a criação de um projeto, o Jampa Digital, que deveria levar internet de graça para a população de João Pessoa. O valor total do projeto era de R$ 39 milhões.

Segundo a Controladoria Geral da União na Paraíba, a licitação foi direcionada para que a empresa Idéia Digital ganhasse. A PF afirma que esta empresa desviou R$ 1,6 milhão e pagou R$ 1,1 milhão a outras duas empresas, a Brickell e a Rigusta. Estas duas teriam pago serviços do publicitário Duda Mendonça, que fez a campanha de Ricardo e Rômulo.

O Jornal Nacional procurou em São Paulo o endereço onde as duas empresas que receberam repasse deveriam funcionar, mas descobriu que elas não existem.

A Polícia afirma que a Idéia Digital tentou montar o mesmo esquema em Mato Grosso. A empresa é suspeita de ter pago R$ 235 mil como despesas de campanha do deputado Federal Valtenir Pereira (PSB). Há três anos o deputado apresentou uma emenda para projetos de inclusão digital no estado.

Agora a PF vai encaminhar o inquérito ao Ministério Público Federal com a recomendação de que seja apurada a eventual participação do governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, e do ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, que, na época, era secretário de Ciência e Tecnologia de João Pessoa.

Em nota,  a assessoria do ministro Aguinaldo Ribeiro afirma que a licitação que resultou na contratação da Idéia Digital foi conduzida pela Secretaria de Administração de João Pessoa e que ele não licitou, contratou ou pagou essa empresa na época.

O governo da Paraíba informou que as empresas investigadas não foram doadoras de campanha e que as contas das últimas eleições foram aprovadas pela Justiça Eleitoral e que desconhece que o governador tenha sido citado neste inquérito. A assessoria do governo disse ainda que Rômulo Gouveia já prestou todos os esclarecimentos sobre o caso e que ele não se envolveu em nenhuma fase do projeto.

A empresa Idéia Digital informou que desconhece o teor do relatório da Polícia Federal e o indiciamento dos proprietários da empresa. O deputado federal Valtenir Pereira afirmou que não tem vínculo com a Idéia Digital, que ele mesmo pagou o material de campanha em 2010 e que as contas foram aprovadas pela Justiça Eleitoral.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO